Futebol Saudade

Desde que, há mais de 100 anos, se fez o primeiro campeonato de futebol em Portugal, que a "passerelle", que é a vida desportiva, viu desfilar milhares de clubes.
Uns ainda hoje existem, pujantes e vigorosos até, outros, embora perdendo protagonismo, ainda resistem. Mas muitos ficaram pelo caminho.
Passaram ao futsal, deixaram o desporto, ou fecharam mesmo as portas. É dos que partiram (e não só), que aqui vamos tentar deixar a memória.




sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Gondomar e Arredores – futebol nos primórdios


Não foge ao padrão comum, a história pioneira do futebol nestas bandas.
Está lá tudo o que usualmente cabe nestas histórias de gente nova por estas andanças.

Não duraram muito tempo estes anos primeiros, que cedo viram chegar a febre do futebol, mas que depressa se extinguiu. Começavam os anos vinte, e Valbom e Gondomar acorriam ao futebol. Mais aquela, com vários clubes de ocasião, onde um até se chamava “Fortuito”. Mas chegados os meados dos anos 30, tudo se extinguia.
Resistiam os de Rio Tinto, também chegados cedo e com origem na Venda Nova, e donde, quais enxertos, haveriam logo surgir de surgir mais dois.

Nestes quase 100 anos de vida desportiva com o futebol por tema, foram exactamente 20 os clubes que fizeram a história do concelho nas competições oficiais, seniores.

Mas comecemos pelo princípio. Desde logo se estabeleceu uma grande rivalidade entre o Sporting Valboense e o Gondomar. Este, inicialmente era Foot-Ball Clube Gondomar, e tinha o vermelho por cor. É só nos finais de 1926, cinco anos após a fundação, que passa ao nome actual de Sport Clube.
Estes 2 protagonistas, que até já dispunham de “campo”, o do Alto da Serra para os de Gondomar, e o da Junqueira servindo aos de Valbom. E muita actividade aqui havia, com visitas das mais variadas procedências, como nos dizem os jornais de então, que acompanharam estas caminhadas. “A Nossa Terra”, com redacção na rua de S. Victor, no Porto, e “O Legionário de Gondomar”.

Mas nestas coisas, sempre há tendência para o aparecimento de outros a intrometer-se nestas rivalidades, e foi o que aconteceu também aqui, com os de Rio Tinto a surgirem com um clube que os representasse.
Diz a história que foi na Venda Nova que 3 putos fizeram uma acta criando o Clube dos Capuchinhos, embrião do que viria a ser o Sport Clube de Rio Tinto. Estávamos em 1923, e pouco depois estes teriam o campo da Ferraria, assim chamado na cerimónia de inauguração, com a sugestão surgida daqueles que foram os beneméritos do clube.

Mas cedo surgem dissidências, que isto de clubes sempre tem tendências. E é assim que o Atlético Clube de Rio Tinto, e o Estrelas Sport Clube Fanzerense, vêem a luz do dia. E para que a alforria fosse consistente, logo tratam de arranjar campo.
Os do Atlético têm um palmo de terra, facultado pelo dono da Quinta da Castanheira, que lhes permite, até hoje, ter onde mostrar o seu futebol. Os de Fânzeres também criaram o seu campo em Santa Eulália.

Vivem-se então acirrados duelos nestes 3 lugares, onde impera o futebol. Mas haveria de durar pouco este movimento, já que no início dos anos 30 desaparecem de vez os clubes, ou suspendem a actividade por largos anos.

Só os de Rio Tinto resistem. Com pequenas paragens, muito pequenas, na sua história, sempre estiveram presentes no futebol federado.

Mas Fânzeres foi o ponto de partida para estas pesquisas. Afinal por aqui, ao longo dos anos, foram 3 as equipas filiadas.
Depois de 1933 nunca mais se ouviu falar do Estrelas, até que em 1945 surge um outro clube. Sport Clube Fanzerense era o seu nome, jogando no seu “campo da Cal”, amiúde citado.
Inicialmente competiu na Promoção (competição essencialmente concelhia) por 3 anos, passando depois ao futebol distrital. Jogou-o também por 3 anos, mas em 1951 desaparece, e com ele o seu novo campo, baptizado de “campo Moreira do Couto”, talvez como homenagem a algum benfeitor do clube, dado que as minas do Seixo tinham por proprietário cidadão com este nome.

Não durou muito o interregno do futebol aqui jogado desde meados dos anos vinte. Em Outubro de 1957, seis anos depois do início do interregno, surgia o terceiro clube de Fânzeres: Estrelas Futebol Clube de Fânzeres, que apresenta um percurso modesto, com paragens, mas variado.
Esteve no futebol dos Amadores, extraordinária competição criada nos anos sessenta, andou no futebol amador do concelho, e também o futebol distrital do Porto os conhece de sobejo.

Não ficamos a saber quais as cores que os antecessores do actual Estrelas usavam, e também não nos deparamos com a localização dos seus campos, mas soubemos muito da sua existência, activa e preenchida.

24/25
Promoção
SC Rio Tinto

25/26
Promoção


26/27
Promoção
SC Rio Tinto
Campo da Ferraria
27/28
Promoção
CA Rio Tinto

27/28
Promoção
SC Rio Tinto

27/28
Promoção
Estrelas FCFanzerense
campo de Santa Eulália
28/29
Promoção
CA Rio Tinto
campo da Castanheira
28/29
Promoção
SC Rio Tinto

28/29
Promoção
Estrelas FCFanzerense

28/29
Promoção
Gondomar SC

29/30
Promoção
CA Rio Tinto

29/30
Promoção
SC Rio Tinto

29/30
Promoção
Estrelas FCFanzerense

29/30
Promoção
Gondomar SC

30/31
Promoção
CA Rio Tinto

30/31
Promoção
SC Rio Tinto

30/31
Promoção
Estrelas FCFanzerense

30/31
Promoção
Gondomar SC

31/32
2ª Div/GDM
SC Rio Tinto

31/32
2ª Div/GDM
Estrelas FCFanzerense

31/32
2ª Div/GDM
Gondomar SC

32/33
2ª Div/GDM
SC Rio Tinto

32/33
2ª Div/GDM
Estrelas FCFanzerense

32/33
2ª Div/GDM
Gondomar SC

33/34
2ª Div/GDM
SC Rio Tinto

34/35
2ª Div/GDM
CA Rio Tinto

34/35
2ª Div/GDM
SC Rio Tinto

35/36
1ª Div/PT-GDM
CA Rio Tinto

35/36
1ª Div/PT-GDM
SC Rio Tinto

36/37
1ª Div/PT-GDM
CA Rio Tinto

36/37
1ª Div/PT-GDM
SC Rio Tinto

37/38
1ª Div/PT-GDM-MTS
CA Rio Tinto

37/38
1ª Div/PT-GDM-MTS
SC Rio Tinto